18 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Arte Marcial, Desporto de Combate ou Defesa Pessoal. O que é o quê?

Para algumas pessoas que procuram praticar um desporto que envolva combate e defesa, contudo não se sentem informadas sobre as diferenças entre Arte Marcial, Desporto de Combate e Defesa Pessoal. Para ajudar nesta questão decidimos contactar o Mestre Vitor Gomes para perceber as suas diferenças e ajudar a optar pela modalidade que realmente se deseja praticar.

 

O Mestre Vítor Gomes, tem um curriculum muito vasto em que treinou e dá aulas de Artes destas três diferentes vias.

 

Tem a graduação de 5º Dan em Goshin Ryu Ju-Jitsu, é instrutor de defesa pessoal nos cursos de segurança privada, credenciado pela PSP, e responsável pelas Lutas Tradicionais na FPLA (Federação Portuguesa de Lutas Amadoras).

 

Fez Karaté Shotokan com o mestre Gilberto Sória Gomez. Ao longo de toda a carreira, treinou também Kung Fu, Kickboxing, Defesa Pessoal, Luta Tradicional Portuguesa (Luta Galhofa), Pankration, Luta Greco-Romana, Luta Olímpica, Grappling, Beach Wrestling.

 

O Mestre Vítor Gomes também organiza eventos nacionais e internacionais como por exemplo o Beach Wrestling em Chaves em 2019 foi uma das etapas do Mundial, um evento internacional que contou com a organização da Associação Portuguesa O Samurai, Federação Portuguesa de Lutas Amadoras e a United World Wrestling.

 

A nível nacional organiza provas como de Beach Wrestling, Luta Galhofa e Luta Tradicional Portuguesa, Pankration, Luta Livre Olímpica, Luta Greco Romana e Luta Feminina.

 

O ano de 2022 foi um ano áureo na sua carreira, sendo homenageado no Livro dos Grandes Mestres das Artes Marciais.

 

Este ano de 2023, também foi premiado com várias distinções, as mais relevantes o Mestre do Ano no International Martial Arts/Lisbon Hall of Fame e também distinguido no Black Belt Book.

 

É um dos grandes impulsionadores da Luta Tradicional Portuguesa, também conhecida como Luta Galhofa. É uma modalidade praticada na região transmontana que está em vias de extinção. Só não aconteceu já derivado à sua investigação e de mais alguns Mestres que lutam para que esta arte portuguesa que remonta ao período pré-romano, quando Portugal ainda não existia como nação (estima-se que tenha mais de 2000 anos) e que foi praticada até perto do final do séc. XX na sua vertente tradicional. Eles lutam para que não caia no esquecimento e continue a ser praticada.

 

Passamos a palavra ao Mestre Vítor Gomes, para clarificar as especificidades das Artes Marciais, Desportos de Combate e Defesa Pessoal:

 

A diferença e não me prolongando muito na conversa, para mim Arte Marcial é Técnicas de autodefesa e combate que passaram por aperfeiçoamento gradual e foram transmitidas de gerações em gerações, não só os ensinamentos técnicos, mas sim também os valores, filosofia etc. Que hoje em dia em muitos desportos de combate, perdeu se essa parte filosófica. Treina-se só para saber as técnicas e não se quer saber da história e dos valores e ensinamentos transmitidos de gerações em gerações, fosse ela uma Arte Japonesa, Chinesa, Coreana ou mesmo Ocidental.

 

Hoje em dia todas as Artes Marciais e desportos de Combate são Defesa Pessoal, pelo menos é o que se quer vender. Pois a própria Lei da DEFESA PESSOAL / LEGITIMA DEFESA

 

Artigo 32.º

Legítima defesa

Constitui legítima defesa o facto praticado como meio necessário para repelir a agressão atual e ilícita de interesses juridicamente protegidos do agente ou de terceiro.

 

Com base no artigo 32º:

A força a utilizar como meio necessário para repelir a agressão deve ser na medida do proporcional;

A agressão deve ser atual: está a acontecer ou prestes a acontecer. No caso da reação ser tardia poderá o agente incorrer em crime;

A agressão a ser repelida terá de se enquadrar como crime no Código Penal e deverá colocar em perigo/risco bens juridicamente protegidos do agente ou de terceiros.

Ou seja numa fração de milésimas de segundos podemos passar de vitimas a agressores e quando se ensina técnicas para deixar o oponente fora de combate, com: ossos partidos, em coma ou mesmo morto, está mais que visto que não é uma Arte de Defesa Pessoal.

Uma técnica de defesa pessoal só deve ser utilizada se tivermos a convicção de que iremos ser bem-sucedidos.

 

A Defesa Pessoal deve seguir 5 princípios:

- Princípio da repetição: repetir e insistir no treino das técnicas;

- Princípio da dor: Antes da aplicação, saber qual a dor que cada técnica produz;

- Princípio da adaptação: Moldar as técnicas às situações;

- Princípio da mudança: Alteração da técnica quando a primeira não produz efeito;

- Princípio da versatilidade: A mesma técnica poderá ser usada em várias situações.

 

Pois como podemos ver os termos Artes Marciais, Desporto de Combate e Defesa Pessoal estão interligadas, mas muitas vezes não estão em harmonia.

 

Já o Bruce Lee dizia e bem que Arte Marcial sem contacto não é Arte Marcial. Nos tempos que vivemos há de tudo, há quem faça Artes Marciais só a bater no saco ou murros e ponta pés no ar e com tanta informação, há quem queira estar desinformado.

 

Na maioria dos desportos de combate, foram criados para isso mesmo, para o combate, para a Guerra e na Arte da Guerra os guerreiros treinavam duro, com e sem armas, fosse no Oriente ou no Ocidente. Os tempos mudaram e as modalidades adaptaram-se a ser modalidades desportivas e depois modalidades olímpicas, foi onde grande parte das modalidades se perderam, pois, modalidades de combate ao ponto e para competição, perdem a sua verdadeira essência. Nos dias de hoje ainda há modalidades, que não fazem competição. A essência está no treino e não quer dizer que o combate que fazem no Dojo não seja duro ou real, só não têm que fazer competição e alimentar egos, pois quem procura esse caminho só tem que competir com ele próprio e nunca com outros e menosprezar o seu adversário. Mas sabemos que o homem se adapta e o que esta a sua volta também e foi o que aconteceu, com as modalidades, na Luta Tradicional Portuguesa, era uma Arte de Guerra, com e sem armas, mas com o decorrer dos tempos ficou só a parte de diversão e hoje em dia continua um Wrestling Transmontano, Português, similar a outras Lutas Tradicionais de outros Países. Nenhuma Arte é melhor que outra, mas sim diferentes e temos de saber o que procuramos e queremos, pois como disse antes, não vou praticar uma Arte que tenha muito contacto físico, refiro-me a murros e ponta pés para poder aprender Defesa Pessoal, pois o ideal é luxações e projeções, deixar o oponente fora de combate com o mínimo de violência possível. Temos que ser como a copa de um pinheiro, Flexível.

 

Agora estamos em condições de perceber as diferenças entre as diversas modalidades e escolher a que queremos praticar, embora estejam todas interligadas, como diz o Mestre Vítor Gomes.

Bons Treinos!

 

Texto: Pedro MF Mestre

Foto: Luís Batista Cor&Contraste

 

Periodicidade Diária

quinta-feira, 20 de junho de 2024 – 14:19:57

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...