18 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Prémios 2023 do Comité Olímpico de Portugal

 
Prémios do Comité Olímpico de Portugal entregues na quinta-feira, dia 16 de novembro, durante a Celebração Olímpica 2023, a partir das 19 horas, no SUD Hall Lisboa.
 
PRÉMIO EXCELÊNCIA DESPORTIVA – INÊS BARROS (Tiro com Armas de Caça) e FERNANDO PIMENTA (Canoagem)
 
Fernando Pimenta conquistou dois ouros no campeonato do Mundo de maratona, na prova curta de K1 e na prova longa de K2, com José Ramalho; três medalhas na Taça do Mundo de Szeged – ouro em K1 500, prata em K1 1000 e bronze em K2 500 misto, com Teresa Portela; quatro medalhas na Taça do Mundo de Poznan – ouro em K2 500 misto, com Teresa Portela, prata em K1 1000, K1 500 e K1 5000; depois conquistou a prata em K1 500 nos Jogos Europeus e no Campeonato do Mundo, em Duisburgo, trouxe o bronze em K1 500, a prata em K1 5000 e o ouro em K1 1000, abrindo vaga para Portugal nesta distância, nos Jogos Olímpicos Paris 2024, e tornando-se o primeiro atleta português a juntar três títulos mundiais numa disciplina olímpica.
 
Inês Barros conquistou quatro medalhas de ouro nas competições internacionais de 2023 – na Taça do Mundo do Chipre, em equipas mistas, com João Paulo Azevedo, na Taça do Mundo do Egito, na prova individual, no Campeonato do Mundo em equipas mistas, também com João Paulo Azevedo, e fechou o seu “ano dourado” com o lugar mais alto do pódio no Campeonato da Europa, resultado que permite a Portugal participar pela primeira vez na competição feminina de Trap, de Tiro com Armas de Caça, nos próximos Jogos Olímpicos Paris 2024.
 
PRÉMIO JUVENTUDE – FRANCISCA VESELKO (Surf) e JOÃO NUNO BATISTA (Triatlo)
 
Francisca Veselko venceu o Campeonato do Mundo de juniores, competiu ao lado das melhores surfistas do Mundo no Challenger Series e ainda luta pela qualificação olímpica.
 
João Nuno Batista conta também no currículo com o título de campeão do Mundo de juniores, mas juntou-lhe o de campeão da Europa e ainda uma medalha de prata na Taça da Europa, o seu primeiro pódio em provas internacionais seniores.
O Prémio Juventude destina-se a premiar o atleta masculino e a atleta feminina de escalões jovens que mais se tenham distinguido na obtenção de resultados de excelência em competições internacionais ao mais alto nível desportivo, sendo relevante também o mérito do percurso académico.
 
PRÉMIO MÉRITO DESPORTIVO – GABRIEL MENDES (Ciclismo) e PEDRO BRANDÃO (Natação)
 
Gabriel Mendes está ligado à Federação Portuguesa de Ciclismo desde 2010 e é coordenador técnico nacional das seleções nacionais de Ciclismo e do alto rendimento em todas as vertentes, desde 2014, cargo que acumula com o de selecionador nacional de pista. Aqui contribuiu para inúmeros resultados internacionais de referência tanto em campeonatos da Europa como do Mundo, tendo sido ainda um dos responsáveis pela inédita qualificação de Portugal para a prova de Ciclismo pista nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020.
 
Pedro Brandão começou pelo Pólo Aquático, mas foi nas Águas Abertas que atingiu nível mundial, estando há mais de 20 anos ligado à disciplina a nível nacional, europeu e mundial. Esteve como árbitro representante do continente europeu nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 e faz atualmente parte da comissão técnica da Federação Europeia de Natação.
 
O Prémio Mérito Desportivo é concedido a quem tenha prestado relevantes serviços ao Movimento Olímpico.
 
PRÉMIOS CAMPEÕES DO MUNDO – FERNANDO PIMENTA (Canoagem), IÚRI LEITÃO (Ciclismo), JOÃO RIBEIRO (Canoagem) e MESSIAS BAPTISTA (Canoagem)
 
Os resultados únicos alcançados nos campeonatos do Mundo de 2023 justificam a distinção daqueles que conquistaram o lugar mais alto do pódio nas provas, modalidades, disciplinas ou vertentes que integram o programa olímpico.
 
O Prémio é concedido aos campeões do Mundo de Canoagem, na prova de K2 500, em Duisburgo, Alemanha, João Ribeiro e Messias Baptista, e na prova de K1 1000, Fernando Pimenta, e ainda a Iúri Leitão, campeão do Mundo de Ciclismo de pista, na disciplina de Omnium, em Glasgow, Escócia.
 
PRÉMIO PRESTÍGIO – SPYROS CAPRALOS (Comités Olímpicos Europeus)
 
Presidente do Comité Olímpico Grego desde 2009, data em que também passou a ser membro do Comité Olímpico Internacional, e eleito em 2021 para presidente dos Comités Olímpicos Europeus, Spyros Capralos participou nos Jogos Olímpicos Moscovo 1980 e Los Angeles 1984 como atleta da equipa helénica de Polo Aquático.
 
Sob a sua liderança, os Comités Olímpicos Europeus garantiram a realização da terceira edição dos Jogos Europeus, mantendo também a aposta na juventude através da organização das quatro edições, de inverno e de verão, do Festival Olímpico da Juventude Europeia.
O Prémio Prestígio do COP visa homenagear agentes desportivos pela excelência, notabilidade e prestígio das suas carreiras, bem como outras pessoas ou entidades por feitos, contributos ou serviços prestados, de excecional valor e importância, em prol dos fins e atribuições do COP.
 
PRÉMIO INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA – JOSÉ ANTÓNIO MAIA (Universidade do Porto)
 
Professor catedrático na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, o trabalho de José António Maia tem-se focado no estudo do crescimento físico, desenvolvimento motor e participação desportiva. Com mais de 30 anos de experiência, liderou estudos populacionais de grande escala em crianças, adolescentes e jovens atletas, publicou mais de 400 artigos em revistas, vários capítulos de livros, é autor ou co-autor de 15 livros e ainda orientador de mais de 50 mestrandos e dez estudantes de doutoramento.
 
PRÉMIO EDUCAÇÃO OLÍMPICA – GUSTAVO MARCOS (Jogos de Quelfes)
 
Gustavo Marcos foi responsável pela criação dos Jogos de Quelfes, em Olhão, no Algarve, há mais de dez anos, com o objetivo de incentivar o desenvolvimento de competências pessoais e sociais com base nos valores olímpicos. A iniciativa reúne atualmente centenas de jovens de dez concelhos algarvios e da Andaluzia, numa celebração do desporto e do Movimento Olímpico.
 
Esta distinção destina-se a reconhecer um exemplo de boas práticas pelo trabalho desenvolvido no âmbito da Educação Olímpica, por estabelecimentos de ensino públicos ou privados ou entidades desportivas que estejam integradas na rede do Programa de Educação Olímpica do COP, bem como outras entidades que tenham contribuído para a implementação de projetos e atividades de promoção da Educação Olímpica.
 
TROFÉU OLÍMPICO – CLUBE NÁUTICO DE PONTE DE LIMA
 
Fundado a 21 de agosto de 1991, o Clube Náutico de Ponte de Lima teve por base a extinta secção de Canoagem da Escola Desportiva Limiana, a primeira entidade a promover a modalidade no concelho de Ponte de Lima. Em 32 anos de vida tem ocupado nos últimos 15, de forma ininterrupta, o topo do ranking de clubes da Federação Portuguesa de Canoagem. Na sua escola de formação, tem nas figuras dos atletas Fernando Pimenta, Messias Baptista e Beatriz Fernandes, e do treinador Hélio Lucas, algumas das referências de destaque tanto a nível nacional como internacional.
 
O Troféu Olímpico destina-se a galardoar, em cada olimpíada, entidades que se tenham destacado pelo seu trabalho no fomento do desporto, particularmente no domínio das modalidades e disciplinas do programa dos Jogos Olímpicos.
 
ORDEM OLÍMPICA NACIONAL – VASCO LYNCE
 
Vasco Lynce tem um longo currículo no desporto, sendo Membro Honorário do COP e Membro Honorário da Federação Portuguesa de Atletismo. Recebeu o European Olympic Laurel Award dos Comités Olímpicos Europeus e foi agraciado com o título de grande oficial da Ordem do Infante D. Henrique pelo Presidente da República. Como dirigente desportivo, a nível nacional, foi presidente do COP, entre 1993 e 1996, tendo desempenhado, entre outras, funções de secretário-geral e chefe de missão. Foi ainda presidente do Conselho Superior de Desporto, entre 1994 e 1996. A nível internacional, foi membro do conselho de administração da Agência Mundial Antidopagem, membro da Comissão da Academia Olímpica e Educação Olímpica do Comité Olímpico Internacional, e membro da Comissão da Juventude da Associação dos Comités Olímpicos Nacionais. Assumiu ainda a nível político o cargo de secretário de Estado do Desporto, entre outubro de 1999 e setembro de 2000, e foi presidente do Instituto Nacional do Desporto, entre 1996 e 1999. Desempenhou as funções de presidente das empresas públicas das entidades organizadoras dos Campeonatos do Mundo de Vela 2007, e do Campeonato da Europa de Futebol 2004. Destacou-se como praticante de Râguebi, tendo sido várias vezes campeão nacional. Foi também selecionador nacional de Râguebi.
 
A Ordem Olímpica Nacional distingue uma personalidade de elevado nível e público reconhecimento, por relevantes serviços prestados ao Movimento Olímpico, por resultados excecionais a nível internacional ao longo da sua carreira, por ter participado na direção, organização e promoção do desporto a nível nacional e internacional, tendo granjeado respeito e admiração da comunidade, ou ainda por ter atuado de forma altruísta e extraordinária em benefício do desporto português.
 

Periodicidade Diária

domingo, 21 de julho de 2024 – 05:05:06

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...