18 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

Bernardo Vieira de prata no contrarrelógio do Europeu de Paraciclismo

Portugal iniciou da melhor forma a participação no Campeonato da Europa de Ciclismo, inserido nos Campeonatos Paralímpicos Europeus, que decorrem em Roterdão, nos Países Baixos. Logo na estreia, Bernardo Vieira conquistou a medalha de prata no contrarrelógio da classe C1.

 

O paraciclista luso percorreu os 10,3 quilómetros em 16”03’03, tendo terminado a 1”04 de Ricardo Tem Argiles, espanhol que conquistou a medalha de ouro da categoria. O pódio ficou completo com o austríaco Andreas Zirkl, que ficou a 2”33 do melhor tempo.

“Sinto-me contente, porque isto é fruto do trabalho que tenho vindo a desenvolver este ano, com vista à preparação e, quem sabe, à qualificação para os Jogos Olímpicos de 2024. É uma alegria fora do normal vir aqui e conseguir a medalha de prata. Sabíamos que o pódio era possível, mas as coisas acabaram por correr bem melhor do que esperávamos”, referiu o paraciclista medalhado, em declarações ao Comité Paralímpico.

 

Na mesma prova, mas na classe de C2, correu Telmo Pinão, que terminou o contrarrelógio na 10.ª posição. O paraciclista português completou os mesmos 10,3 quilómetros em 15”52’38, o pior tempo entre os participantes, a 2”09 do líder Alexandre Leaute (França), que superou o grego Nikolaos Papangelis e o espanhol Maurice Far Eckhard Tió, segundo e terceiro classificados.

A tarde ficou reservada para os contrarrelógios das classes H, nos quais Portugal voltou a estar em bom plano. Em H5, Luís Costa foi quinto, tendo terminado a prova em 15”51’72, a 1”26 do neerlandês Mitch Valize, que conquistou o ouro, à frente do francês Loïc Vergnaud, segundo classificado, e do compatriota Tim de Vries, terceiro.

 

Flávio Pacheco, na classe H4, foi sexto classificado, depois de percorrer os 10,3 quilómetros do contrarrelógio em 16”01’39. O português ficou a 1”34 do líder Thomas Frühwirth (Áustria), terminou à frente do compatriota Alexander Gritsch e do francês Bordo Mathieu.

 

“Eu já tinha dito no Campeonato do Mundo que íamos lutar pelas medalhas e ficámos muito perto, com o quarto lugar do Luís Costa. Viemos para aqui com a mesma mentalidade e conseguimo-lo com o Bernardo Vieira, com uma medalha de prata, o que foi excelente. Na classe C2, o Telmo Pinão não é um especialista em contrarrelógio e limitou-se a cumprir a prova”, explicou José Marques.

 

“Na prova de H3 e H4, o Luís Costa andou bastante bem e fez quinto, a seis segundos do quarto. Depois tivemos algo que me deixou bastante satisfeito. O Flávio Pacheco tinha de apostar tudo e foi o que fez. Deu o que tinha e o que não tinha para terminar nos oito primeiros e acabou em sexto. Foi excelente. Estamos de parabéns, foi um dia extremamente positivo, com três atletas integrados no alto rendimento”, concluiu o selecionador nacional de paraciclismo.

 

A seleção nacional volta a entrar em prova já este sábado, nas provas de fundo das classes C1 e C2. Bernardo Vieira (C1) e Telmo Pinão (C2) vão percorrer as 12 voltas ao circuito, num total de 63 quilómetros, às 13h15.

 

Periodicidade Diária

domingo, 16 de junho de 2024 – 05:05:58

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...