18 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

51% dos portugueses desconhecem quais os benefícios associados à compra de carro elétrico

  •  
  • - Complexificação e volatilidade no sector automóvel levam a que portugueses se sintam desinformados.
  • - A maioria (52%) revela não estar a par dos novos regulamentos relativos às motorizações e à circulação.
  • - 45% dizem não estar bem informados sobre os preços dos automóveis e 43% sobre as novas marcas disponíveis.
  •  

A compra de um carro é um investimento significativo para a maioria dos cidadãos. Porém, o processo de compra pode ser difícil, pois há vários fatores a ter em consideração e a informação é valiosa para tomar boas decisões. Porém, como mostram os resultados do Observador Automóvel 2024, estudo realizado pelo Cetelem, marca comercial do grupo BNP Paribas Personal Finance, os portugueses dizem não estar bem-informados sobre a maioria temas: dos novos regulamentos relativos às motorizações e à circulação (52%), aos preços (45%) e sobre as novas marcas (43%). Por outro lado, em sintonia com a média europeia, é nas novas tecnologias que os portugueses (66%) mostram estar mais a par da informação (novos tipos de motorização, energia e veículos conectados).

 

A desinformação também abrange os apoios do Estado, por exemplo, no que respeita à aquisição de veículos elétricos. Em Portugal, enquanto os particulares podem receber um incentivo de 4.000 euros, para as empresas esse valor chega aos 6.000 euros, ficando também isentas do pagamento do IVA. No entanto, 51% dos portugueses assumem não saber quais os benefícios disponíveis. Além disso, 56% defendem que estas medidas não correspondem às necessidades dos automobilistas e as opiniões dividem-se quando a questão é se estas medidas se irão manter (50%) ou desaparecer (50%) no futuro. Por fim, entre os que os conhecem, 42% referem que o montante dos apoios se irá manter no mesmo nível.

 

Quanto às marcas, 96% dos portugueses revelam ter uma boa opinião sobre as insígnias de origem europeia. Também as marcas japonesas (90%) e as norte-americanas (79%) usufruem de uma boa reputação junto dos consumidores.

 

Falta de informação é transversal a todos os países inquiridos

Desengane-se quem pensar que são os portugueses os únicos a assumir não estar bem-informados quanto ao sector automóvel. Apesar de vivermos na era da informação, de um modo geral, os países europeus revelam uma falta de conhecimento sobre a maioria dos temas. O Japão apresenta um nível de desinformação muito superior ao de todos os outros países onde se realizou o estudo do Observador Cetelem, com pontuações que ultrapassam sistematicamente os 70%. É igualmente de referir que as mulheres, os idosos e as pessoas com rendimentos mais baixos são mais suscetíveis de se declararem mal informados.

 

Por exemplo, 1 em cada 2 pessoas aponta, em primeiro lugar, a falta de informação sobre os novos regulamentos relativos às motorizações e à circulação. Em segundo lugar, a informação sobre as novas marcas não convence 48% das pessoas inquiridas. Em proporções quase iguais, os automobilistas consideram que não dispõem de todos os dados necessários sobre a evolução dos preços (45%). A informação associada às tecnologias também, à semelhança dos resultados portugueses, parece ser aquela que é mais bem comunicada: apenas 4 em cada 10 pessoas afirmam estar mal-informadas sobre este assunto.

 

Sobre os apoios em cada país, para ajudar na transição para os veículos elétricos, 8 em cada 10 pessoas consideram-nas indispensáveis, mas mais de 7 em cada 10 consideram-nas muito confusas. 55% consideram que os montantes são adaptados às suas necessidades, enquanto 45% chegam a afirmar que são demasiado elevados. Por último, apenas uma em cada 5 pessoas pensa que estas medidas continuarão a existir e prevê que venham a diminuir. O dobro dos inquiridos (37%) espera que aumentem e 45% consideram que o montante se manterá inalterado.

 

Em relação à escolha das marcas, as europeias também são aquelas que beneficiam de uma melhor reputação: a sua imagem é positiva para 9 em cada 10 pessoas. As marcas japonesas reúnem 82% de opiniões favoráveis. Já as marcas americanas ocupam o terceiro lugar nesta classificação, com uma pontuação de 73%, e o país que ocupa a quarta posição é a Coreia, com 63% de opiniões favoráveis. Apesar de ser o primeiro fabricante mundial no setor automóvel, a China não usufruiu de um bom reconhecimento, com pouco menos de 1 em cada 2 pessoas a ter uma opinião favorável sobre as marcas de origem no país.

 

Periodicidade Diária

domingo, 16 de junho de 2024 – 06:31:54

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...