18 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Notícias

CNV 2024 arrancou hoje no Estoril

 
O Circuito Estoril abriu portas este sábado, 27 de abril, para o arranque da temporada 2024 do Campeonato Portugal Velocidade (Moto). Com tempo instável e depois de uma madrugada de chuva, o sol marcou presença e o traçado do Estoril foi palco das primeiras lutas da época com novidades em algumas categorias.
 
Em pista os renovados pelotões nas categorias do Troféu TLC, Naked Bikes, Moto4, Moto5, COPA MOTOVAL (CDM1, CDM2), SBK1000, STK600, PREMOTO3 e SSP300.
 
A destacar para 2024 a chegada ao CNV de rostos femininos com Carolina Azevedo, Carlota Carochinho e Lara Pinto a alinharem nas Moto5 e Rafaela Peixoto nas SSP 300.
 
Após uma manhã dedicada às últimas afinações e testes nos treinos livres, o início da tarde ditou as primeiras qualificações das várias categorias, nas quais se começaram a definir as primeiras contendas.
 
foto: Pedro MF Mestre | AMMA Magazine
 
TROFÉU TLC / NAKED BIKES
Frédèric Bottoglieri abre 2024 com vitória
 
Para 2024, o Troféu TLC / Naked Bikes apresenta um pelotão de 12 pilotos dividido por 3 classes (NB1; NB2, LC Open). Com 1:50.456, Frédèric Bottoglieri levou a sua Triumph ST765 RS à Pole Position sendo também o primeiro entre as NB2. Ao seu lado a BMWS1000R de Luís Franco, o mais rápido entre as NB1. A fechar a primeira linha da grelha, Romain Berton.
 
Fernando Mercier – único piloto nas LC Open – assinou o 11º tempo.
 
A dar continuidade ao resultado da qualificação, Bottoglieri impunha o seu ritmo e terminaria como começou, na frente, tendo liderado da 1ª à última volta. A luta centrou-se na definição das três posições seguintes, com Luís Franco, Marcos Leal e Romain Berton a manterem uma animada luta. Com algumas trocas de posição nas primeiras 4 de 10 voltas ao Estoril o trio manteve público e equipas na expetativa com Luís Franco a assumir nessa volta e em definitivo a 2ª posição à geral seguindo no encalço de Bottogliere. Leal e Berton continuavam na luta pelo mais baixo do pódio.
 
Na axadrezada, Bottogliere venceu à geral, sendo também 1º entre os homens das NB2, com mais 1s sobre Duarte Amaral que além do lugar intermédio assegurou também o 1º posto entre as NB1. O 3º lugar à geral seria para Luís Franco não muito longe de Amaral mas a mais de 2s de Botoglierie. Franco seria 2º entre as NB1.
 
A fechar TOP5 e respetivamente, Romain Berton e Miguel Sousa. A correr sozinho, Fernando Mercier – único piloto nas LC Open – fechou a suas primeira corrida do ano na 11ª posição.
 
foto: Ruben Monteiro
 
MOTO4 / MIR MOTO5
Cabá dominador, assina melhor tempo, Pole e vitória nas MOTO5
Lourenço Vicente abre época a vencer nas MOTO4
 
Com 9 pilotos dispersos por duas classes (MOTO5, MIR MOTO5), a formar este pelotão, foi sem surpresa que o jovem piloto da Team Moto Clube Loulé, Alexandre Cabá demonstrou o seu já reconhecido domínio. A correr sozinho na classe MOTO5, Cabá assinou a volta mais rápida nos cronometrados que lhe garantiam a Pole Position. Com um arranque perfeito e profundamente conhecedor do traçado do Estoril, Cabá liderou da 1ª à última volta deixando para os demais a luta pelos lugares seguintes.
 
Numa corrida à parte, e com uns expressivos 46s de vantagem, Cabá assinou a primeira vitória da temporada e demonstrou que está em plena forma e totalmente focado para 2024.
 
Definida que estava desde cedo a liderança, a animação centrou-se entre os 8 pilotos das MOTO4, nos quais, e no feminino, alinham esta época três jovens promessas da Escola Iniciação Moto Racing Sintra, Carolina Azevedo, Carlota Carochinho e Lara Pinto.
 
Sem grande luta entre si, Lourenço Vicente, Henrique Vicente e Tomás Carneiro rodavam tranquilos com alguma diferença de tempos entre si. Na linha de meta os lugares restantes do pódio seriam para Lourenço Vicente e Henrique Vicente. O TOP5 ficaria completo com Tomás Carneiro e com a estreante Carlota Carochinho.
 
foto: Pedro MF Mestre | AMMA Magazine
 
COPA DUNLOP MOTOVAL
Rafael Ribeiro assume as despesas na 1º corrida da temporada
 
A terceira corrida do programa desportivo da tarde estava reservada para os 13 pilotos da COPA DUNLOP MOTOVAL divididos pelas classes CDM1 e CDM2. Definidos que estavam os resultados das 3 Superpoles seria Ricardo Rodrigues com a sua R6 a agarrar a primeira posição da grelha. A seu lado Rafael Ribeiro e Daniel Coelho todos CDM2. O primeiro entre as CDM1 e 4º na grelha, Wagne Pederneira.
 
Semáforo Verde e partida bastante disputada com Rodrigues a esgrimir os primeiros argumentos face a Rafael Ribeiro. A primeira passagem pelo emblemático pórtico do Estoril, Ribeiro assumia a liderança e renegava Rodrigues para uma luta direta com Rui Palma que tendo saído da 8º posição da grelha rapidamente galgou posições para se imiscuir na luta pelos lugares cimeiros.
 
Rodrigues não mais largaria a posição cimeira até ao final das 10 voltas previstas para a primeira corrida da COPA DUNLOP MOTOVAL conquistando a primeira vitória da época e sendo também o 1º entre as CDM2. A mais de 6s e só depois de uma intensa luta nas voltas 7 e 8, Rui Palma, depois do já mencionado arranque canhão na partida, celebrava a 2ª posição à geral sendo também 2º nas CDM2. Sem “deitar a toalha ao chão” mas a mais de 3s de Palma, o mais baixo do pódio e 3º também entre as CDM2, seria para Daniel Coelho.
 
Entre os pilotos da CDM1, Ricardo Rodrigues vencia e era 4ª à geral, Vitor Silva e Tiago Pires eram respetivamente 2º e 3º entre as CDM1 assinando os 10º e 11º lugares à geral.
 
foto: Pedro MF Mestre | AMMA Magazine
 
SUPERBIKES / STK600
1º corrida da temporada nas SNK para Ricardo Lopes.
Gonçalo Ribeiro leva de vencida as STK600
 
Pista aberta para formação da grelha das Superbikes (com 4 pilotos inscritos), e STK600 (com 10 pilotos inscritos). A Pole Positon para o primeiro embate da época ficaria nas mãos de Miguel Romão que cumpriu a volta mais rápida ao Estoril com a sua R1 em 1:43.617s, sendo também o mais forte entre as SBK. Ao seu lado Ricardo Lopes e Ruben Macuá.
 
Entre as STK600, destaque para Gonçalo Capote que levou a sua R6 ao 4º posto da grelha logo seguido de Gonçalo Ribeiro e Alessio Guarnieri a serem 5º e 6º respectivamente.
 
Partida limpa com os homens das SBK – Romão, Lopes e Macuá - de imediato a encetar trocas de posições durante a 1º volta. Na entrada para a 2ª volta Lopes asumiria a liderança com Macuá na sua cola e Romão na expectativa. Sem grande surpresa o dueto Lopes, Macuá manteve a luta intensa e animada nas primeiras 5 voltas, momento no qual, Miguel Romão passou ao ataque assumindo a 2ª posição. Mesmo tendo realizado a melhor volta da corrida, Romão não logrou bater o seu rival Ricardo Lopes e seria 2º à geral na bandeira axadrezada.
 
Assim sendo, Lopes vence à geral sendo 1º entre as SBK e deixa boas indicações para domingo. Miguel Romão subia ao intermédio do pódio com um distante Ruben Macuá (mais de 25s do vencedor) a ser 3º. Foi esta também a classificação final entre os bravos das SBK.
 
No que diz respeito às STK600, Gonçalo Ribeiro, Gonçalo Capote e Rodrigo Valente mantinham luta animada até final sendo 4º, 5º e 6º á geral e perfazendo o TOP3 das STK600.
 
foto: Ruben Monteiro
 
SSP300 / PREMOTO3
Tomás Alonso garante vitória nas SSP300.
 
Naquela que se perfila como uma das mais competitivas categorias de 2024, e também com novidades no feminino com a chegada da estreante Rafaela Peixoto, a última corrida do dia ficou para as SSP300 e PREMOTO3.
 
Grelha composta com Tomás Alonso a assumir a Pole tendo a seu lado Martim Jesus e Dinis Borges na primeira linha sendo estes também os mais fortes entre as SSP300.
 
Nas PREMOTO3, Vasco Fonseca impunha o seu ritmo sendo 8º na grelha com Tiago João em 12º e Frederico Guimarães em 13º.
 
Aberta a contenda e com pista limpa para as 14 voltas ao traçado do Estoril a luta centrou-se na dianteira com Tomás Alonso, Martim Jesus, Uriel Hidalgo (que saiu da 4ª posição na grelha) e Dinis Borges a tentarem definir entre si a liderança.
 
Alonso foi-se destacando e logrou abrir uma vantagem confortável que lhe permitiu gerir a corrida até final, vencendo com mais de 5s de vantagem para Jesus, Hidalgo e Borges.
 
A verdadeira incerteza esteve neste trio do qual sairía mais forte Martim Jesus num renhida decisão sobre a linha de meta. Jesus assumia o lugar intermédio do pódio a 5.318s do vencedor, mas com Hidalgo a 0,022s a ser 3º à geral e Borges em 4º a excassos 0,129s. Tomás Marin e Vasco Camoesas fechavam TOP5.
 
No pelotão da PREMOTO3, Vasco Fonseca, 8º à geral, seria o mais forte com Tiago Martins (10º) e Frederico Guimarães (12º) a assinarem o primeiro TOP3 da temporada.
 

Periodicidade Diária

domingo, 16 de junho de 2024 – 06:41:47

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...