15 anos ao serviço do Desporto em Portugal

publicidade

 

Espetáculos

Noite de fado com Peu Madureira no LoungeD do Casino do Estoril

 

O Fado anima as noites de 4ª Feira no LoungeD do Casino do Estoril com um novo Ciclo de espectáculos. Num contexto em que as actividades musicais estão aos poucos a retomar a sua actividade pelo país fora, o Casino do Estoril está a presentear os seus visitantes com o Ciclo de Fado à 4ª Feira pelas 20h30 no LoungeD com entrada livre. Esta animação artística do nosso património musical segue nas próximas duas semanas os já anunciados Maura Airez, para o dia 21, e Francisco Salvação Barreto, para 28 de Outubro.

 

Pau Madureira subiu ao palco no dia 15 de Outubro durante uma hora num ambiente intimista e descontraído mostrando o seu lado artístico acompanhado por Diogo Lucena Quadros na guitarra e Luís Roquette na viola.

 

O artista passou por temas conhecidos do nosso fado, temas que influenciaram a sua carreira iniciada muito jovem. O fadista lembra-se de cantar desde muito novo nos serões em família. A partir daí desenvolveu a sua carreira passando pelas mais variadas casas de fado ao longo do país, tendo um dos seus pontos altos a participação em 2015 no Festival Caixa Alfama.

 

Como todos os artistas têm sempre uma influência, Peu Madureira não é excepção e inspira-se nos temas e carreiras de Alfredo Marceneiro, Maria Teresa de Noronha, João Ferreira-Rosa, Teresa Tarouca, Teresa Siqueira, José Pracana ou João Braga.

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

Carlos Alberto Moniz celebrou os 50 anos de carreira no Casino do Estoril

 

O artista Carlos Alberto Moniz, celebrou no Salão Preto e Prata, os seus 50 anos de carreira musical no passado dia 1 de Outubro.

 

Bem conhecido por todos, animou várias gerações com os seus temas musicais, trouxe aqui um espectáculo de cerca de duas horas a este palco.

 

Teve a actuar com ele artistas convidados tais como o Rui Veloso, Lúcia Moniz, Silvestre Fonseca, Vitorino, Dani Silva e Samuel.

 

Com a sua banda apresentou o último trabalho, lançado oficialmente nesse dia “O Amor Virá Mais Tarde”.

 

Também recordou temas antigos, fez um dueto com a sua filha Lúcia, dedicou temas a colegas e amigos que partiram nos últimos tempos.

 

Foi passada a mensagem do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, em vídeo a felicitar este artista com origem da Ilha Terceira nos Açores, pelo trabalho feito e o impacto do seu trabalho que teve a nível nacional.

 

Segundo o autor ele tinha interesse em fazer a venda do disco no local e a sessão de autógrafos mas derivado ao contexto em que nos encontramos não foi possível. Já a lotação da sala estava bastante reduzida pelos mesmos motivos, contudo os lugares disponíveis para o público estavam quase todos preenchidos.

 

Os músicos que o acompanharam ao longo do espectáculo foram: Carlos Araújo na guitarra e na viola, Hugo Carvalhais no contrabaixo, Tico no bandolim e bandola e Luís Ruvina no órgão Hammond A100.

 

Os temas apresentados por Carlos Alberto Moniz foram: Charamba; Olhos Pretos; Pastor? Lira; Saudade / Açores / Cabo Verde; Fado Coimbra; Confissão; O Amor Virá Mais Tarde; Era Linda, Cupido; Para ti...; Perco-me; Espelho; O Amor FP; À descoberta do Amor; Retrato; O Beijo; Tu voltas; A Oriente...; Patxi; Eu tenho que fazer uma canção; Era um homem de sucesso; O Amor...

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

Casino Estoril recebe Rodrigo Leão no Salão Preto e Prata

 

O Salão Preto e Prata do Casino do Estoril reabre ao público pela primeira vez após o período de confinamento para receber o concerto “O Método” de Rodrigo Leão a 15 de Agosto.

 

O espectáculo com o nome do último álbum do artista e compositor lançado duas semanas antes de ser decretado o estado de emergência nacional.

 

Rodrigo Leão não se ficou por este trabalho trazendo temas mais antigos como por exemplo “Carpe Diem” e “Ave Mundum”, com a solista Ângela Silva acompanhada pelo “Coro Nova Era” dirigido pelo maestro João Barros.

 

O segundo tema “Cinema” foi dedicado pelo artista a Gonçalo Villas Boas, falecido há cerca de uma semana.

 

O Rodrigo Leão também trouxe ao palco dois temas que compôs durante o período de confinamento, que segundo ele felizmente foi passado em família, e fazem parte do novo EP o “Avis 2020”  com “O Piano de Maio” e “Caminhos de Avis”.

 

A parte musical foi composta por cinco elementos, incluído o próprio Rodrigo Leão ao piano acústico e piano eléctrico; Carlos Tony Gomes no violoncelo e nos arranjos para cordas; Viviena Toupikova no violino, piano e voz; Ângela Silva no teclado, metalofone e voz e ainda João Eleutério com o teclado, guitarra, baixo, harmónio e percussão.

 

Para a voz Rodrigo Leão trouxe também um convidado especial, o cantor dinamarquês Casper Clausen que participou em vários temas.

 

A parte artística não se ficou pela componente musical em que os temas foram acompanhados por projecções de vídeo e um bom jogo de luz enchendo a sala com um ambiente agradável e intimista.

 

Rodrigo Leão trouxe ao Casino no Estoril 21 temas começando com “Ideia 1”, “Lula Mistério”, “Cinema”, “Histórias”, “Transporte”, “O Método”, “Red Poem”, “A Bailarina”, “Carpe Diem”, “Ave Mundi”, “O Piano de Maio”, “Caminhos de Avis”, “Ilhas dos Açores”, “The Boy inside”, “O retiro”, “Dresden”, “O cigarro”, “O dragão”, finalizando com os temas: “Parte 1”, “Bailarina e “The Boy inside” com coro.

 

O Salão Preto e Prata estava com uma lotação aproximada de 300 pessoas (segundo ao site do artista a lotação máxima estava estimada até 400 lugares). Pela primeira vez um espectáculo de Rodrigo Leão teve também a componente de live stream para que os seus fãs também pudessem optar por assistir ao concerto via Internet, com o limite do máximo de 2000 ligações online.

 

Rodrigo Leão e a Uguru, produtora do evento, tiveram uma acção solidária disponibilizando 500 convites online a ser atribuídos a músicos, técnicos e outros agentes da área que estão fortemente penalizados pelos efeitos da pandemia.

 

Este método de livre stream já está a ser usado por alguns artistas e produtores, em que aplicado num modelo misto acaba por beneficiar os espectadores que não se podem deslocar aos locais, e aos artistas e produções para colmatar também a limitação de lugares das salas que estão a ter com a capacidade reduzida derivado às medidas de segurança impostas para que não haja a propagação da pandemia, podendo assim chegar a mais espectadores com a venda de bilhetes para assistir virtualmente, beneficiando um pouco mais os artistas e o público. Contudo há artistas que estão a fazer os seus espectáculos somente em live stream para não estarem parados por completo enquanto as suas salas estão encerradas, mas sentindo sem dúvida a falta do calor da sala, com o seu público presente.

 

O Casino do Estoril tomou as orientações emitidas pela Direcção-Geral de Saúde, assim como uso obrigatório de máscara, os bilhetes são de lugares individuais, assegurando o distanciamento social, e a interdição à entrada na sala após o início do espectáculo, entre outras acções que fazem parte das recomendações da DGS.

 

O Casino do Estoril também foi distinguido com o certificado “Clean & Safe” do Turismo de Portugal e aderiu ao serviço COVID-OUT, Selo de Confiança, Clean Surfaces Safe Places, emitido pelo ISQ.

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

Fados de Amália no Casino Estoril

 

O Casino do Estoril, comemora o centenário do nascimento de Amália Rodrigues, com um ciclo de fado em três fins de tarde, com grandes fadistas a dar voz a temas do repertório imortalizado da embaixatriz portuguesa a nível mundial nesta área da nossa cultura, o Fado. Esta série de espectáculos conta ainda com o apoio da Fundação Amália Rodrigues.

 

O ciclo iniciou-se no dia 24 de Julho pela voz de Sandra Correia, o Portal AMMA acompanhou o segundo espectáculo com a fadista Célia Leiria a 25 de Julho e a série termina dia 29 com Joana Amendoeira. Na componente musical Pedro Soares esteve na Guitarra de Fado e Pedro Amendoeira com a Guitarra Portuguesa.

 

Todos os espectáculos têm inicio pelas 18h00.

 

Ao longo de cerca de uma hora Célia Leiria passou pelos temas: Amália;  Ai Mouraria;  Não sei porque te foste embora;  Tudo isto é fado; Coimbra; Triste sina; Nem às paredes me confesso; Saudades do Brasil; Nome de Rua; Amendoa Amarga; Meu amor é marinheiro; Ai Maria; Filha das ervas e Marcha dos centenários.

 

Célia Leiria cativou o público do LougeD do Casino do Estoril, que devido às medias sanitárias em vigor pelo Covid-19 teve a configuração da sala de forma diferente do que era habitual de forma a cumprir com as novas regras, contando na mesma com o espaço bem composto de público e com o espaçamento necessário entre ele. A fadista não só cantou, mas também passou um pouco pela história dos temas que ia apresentando à sala. Interagiu com seu público passando-lhe várias vezes a voz para acompanharem em partes de temas, numa hora de espectáculo houve uma retrospecção da vida de Amália Rodrigues.

 

Célia Leiria é originária de Santarém, começou os seus primeiros passos no Fado com apenas 14 anos, mais tarde passou pelo Casino do Estoril a convite do famoso Carlos Zel, nas noites de Fado à quarta-feira, onde começou a ser mais conhecida e actualmente conta com uma carreira bem sucedida.

 

Amália Rodrigues trás nostalgia ao Casino do Estoril, pelas vezes em que brilhou no palco do Salão Preto e Prata, tanto em datas comemorativas, como em concertos próprios ou acompanhando artistas tais como Júlio Iglesias ou Tony Bennett.

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

 

Noite de Carnaval no Lounge D do Casino do Estoril

 

A 24 de Fevereiro, o Lounge D do Casino do Estoril festejou o Carnaval através da dinâmica da banda de música brasileira Sacundeia.

 

O primeiro momento de animação foi de batucada acompanhada pela dança das bailarinas, passando à actuação da banda de samba no palco principal deixando a pista para quem quisesse dar o seu pé de dança.

 

Os Sacundeia já são conhecidos pelo seu repertório de música brasileira que se enquadra perfeitamente neste ambiente de festa e folia.

 

A banda foi criada em 2014 e é composta por um bom leque de artistas, tendo Betinho Mateus na voz, Iro Borges na voz e no cavaquinho, Beto Souza na voz e percussão, Eron Gabriel na bateria, Jackson Azarias no baixo, Derek Viana no violão e Klênio Barros no trombone. Aqui a performance da banda contou ainda com mais dois músicos, um elemento no saxofone e outro na percussão com a pandeireta.

 

Todos eles são jovens músicos brasileiros residentes em Portugal. O objectivo desta formação musical é divulgar o samba com um grande grau de qualidade, moderno, profissional e inovador, e fazer algo de diferente até então não existente em Portugal.

 

O espaço estava cheio de espectadores que puderam assistir e dançar na pista pela noite fora.

 

“A vida são dois dias e o Carnaval são três”.

 

Até para o ano, Carnaval!

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

 

V Gala sem Preconceito no Casino do Estoril

 

O Salão Preto e Prata do Casino do Estoril recebeu a V Gala sem Preconceito a 1 de Fevereiro.

 

À semelhança das edições anteriores, a Gala sem Preconceito apoia uma causa social, sendo este ano a instituição UMAR - União de Mulheres Alternativa e Resposta. As receitas de bilheteira e a verba angariada com a venda do calendário solidário são destinadas a mobilar os dois apartamentos que a Câmara Municipal de Lisboa cedeu para acolher vítimas de violência doméstica e seus filhos.

 

O evento teve a produção da Capítulo Reversível e a produção executiva de Isabel Guerreiro. Isabel Guerreiro também partilhou o palco na apresentação da Gala em conjunto com Ricardo Carriço, Pedro Crispim e Sofia Nicholson, e ainda contracenou com Jocka.

 

Quando ao espectáculo, iniciou-se com uma coreografia entregue ao tema da Gala, a violência doméstica, em que os artistas Jocka e Isabel Guerreiro, protagonizaram uma encenação de violência doméstica, ao lado 35 pessoas de cara tapada (a simbolizar as 35 mortes que houve no ano passado). Ao fundo a projecção de pequenas frases de contextualização.

 

A noite prosseguiu com a música de Ricardo Carriço, André Fernandes, Sara Carreira, Pedro Barroso, Anjos terminando com a actuação do Saint Dominic Gospel Choir.

 

Jocka fez ainda uma excelente exibição de acrobacia, sendo um dos artistas portugueses mais conceituados nesta arte.

 

O evento não se ficou por aqui, tendo as intervenções de Paula Patuxa Lopes, mentora do projecto “Sem Preconceito”, a Ana Arrebentinha a já muito conhecida humorista alentejana, em que não veio contribuir com o humor da sua Amareleja mas sim com o testemunho muito sério de um episódio de violência doméstica que se passou com uma amiga sua e resultou na morte da mesma. Já Sérgio Moura Afonso fez a declamação de um texto também alusivo ao tema. 

 

Já no final, Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais fez a sua intervenção que se focou em vários pontos, sendo dos quais o reconhecimento do apoio que a Câmara Municipal de Lisboa está a dar a este projecto cedendo os dois apartamentos, assim como os apoios que a Câmara Municipal de Cascais também tem neste sentido, sendo que as autarquias devem realmente intervir nesta área. Na área da prevenção deve-se ter sempre em atenção também aos jovens logo na idade do namoro, pois aí já começam a aparecer casos de violência entre namorados. Os casos de violência doméstica têm que ser sempre denunciados, segundo o autarca, pois é crime público.

 

Ao longo da Gala, os apresentadores foram fazendo os agradecimentos a todos quantos tornaram possível este evento e deram também uma nota ao público, para haver uma melhor partilha de conteúdos passa por usar a hashtag #nemmaisuma

 

Mais uma Gala sem Preconceito terminada com êxito, aguardamos a VI edição.

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

 

Cascais Rock Fest 2020

 

Fotos de Alexandre Rosado Albuquerque

 

Cascais Rock Fest 2020

 

Fotos de Alexandre Rosado Albuquerque

 

Alceu Valença em “Valencianas II” com a Orquestra Ouro Preto no Casino do Estoril - 2020

 

O Casino do Estoril recebeu pela primeira vez, o cantor brasileiro Alceu Valença, no Salão Preto e Prata assim como a Orquestra Ouro Preto conduzida pelo Maestro Rodrigo Toffolo e a direcção de cena a cargo de Paulo Rogério Lage a 21 de Janeiro.

 

Este mítico artista oriundo de Pernambuco conta com quase 50 anos de carreira, a cantar e a tocar o seu violão. Os estilos que ele interpreta passam pelo Forró, Rock, MPB, Baião, Frevo, Maracatu entre outros. A sua formação musical passou por vários estados Brasileiros, assim como no estrangeiro, onde também actua com grande sucesso.

 

A digressão “Valencianas II” é sequência do sucesso que teve a anterior “Valencianas” que data de 2010, por ocasião da comemoração dos 40 anos de carreira de Alceu Valença, e aqui juntou pela primeira vez este trio de sucesso com os já apresentados Maestro e Director de Cena.

 

Neste espectáculo mostrou temas antigos assim como composições mais recentes. Fez questão de introduzir o motivo que os fez compor antes de passar à exibição sempre com uma postura divertida para o seu público. As canções passaram por “Dia Branco”, “Na Primeira Manhã”, “Tesoura do Desejo”, “Solidão”, “Samba do Tempo”, “Pelas Ruas que Andei”, “De Janeiro a Janeiro”, “Iris”, “Papagaio”, “Eu Vou Fazer Você Voar”, “Como Dois Aninais”, “Borboleta + P da Paixão”, “Tomara”, “Taxi Lunar” e “Anunciação”.

 

A Orquestra acompanhou sempre o cantor, e contou com dois momentos a solo. Foram encarregues de fazer a introdução e sensivelmente a meio do espectáculo apresentaram mais três temas orquestrais.

 

Em termos instrumentais, para além do violão de Alceu Valença, a orquestra é composta por violinos, violoncelos, contrabaixo, percussão, duas guitarras eléctricas, baixo e bateria.

 

O público foi sempre receptivo à interactividade de Alceu Valença e do Maestro, num bom ambiente com a sala completamente cheia. A parte final obviamente foi assistida já de pé com uma grande ovação do público, quando os artistas terminaram a actuação.

 

A bilheteira esgotou para este espectáculo com uma duração de cerca de 1h40.

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

 

 

III Espectáculo Solidário Pata d’ Açúcar no Casino do Estoril

 

O Salão Preto e Prata do Casino do Estoril, recebeu a terceira edição do espectáculo solidário da Associação Pata d’ Açúcar no passado dia 18 de Janeiro.

 

A recepção aos convidados no Foyer Panorâmico teve o seu primeiro momento musical a cargo do DJ Christian F animando este momento de convívio.

 

Já no Salão Preto e Prata, teve início o espectáculo, apresentado por Sofia Cerveira e Ricardo Carriço após a direcção da Associação fazer uma introdução à sua missão, do facto de os cães por eles treinados sere, animais resgatados, assim como o compromisso assinado entre a Associação e os novos donos sendo uma adopção responsável, caso contrário o animal será retirado ao proprietário e atribuído a outro dono.

 

Estes cães conseguem detectar os casos de hipoglicémia (baixa de açúcar no sangue) de pessoas portadoras da diabetes tipo 1. O interessante é que o animal antecipa estas situações através de um odor libertado pela pessoa que não é detectado pelos humanos, sendo dado o alerta ao dono que faz a medição da glicémia e toma a respectiva medicação. Estas baixas de glicémia por vezes não se sentem, tal como foi testemunhado em palco por atuais donos de cães com este tipo de treino, sendo que estes “patudos” salvam-lhes a vida.

 

A Associação Pata d’ Açúcar foi criada em 2016 com a finalidade já referida, e com este espectáculo solidário pretendeu angariar fundos para a reabilitação da sua sede assim como a aquisição de uma viatura.

 

A parte lúdica do evento continuou com os artistas Ana Laíns, João Blumell terminando com Diogo Piçarra.

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

 

 

 

The Black Mamba” com “Good Times Tour” no Casino do Estoril

 

A banda portuguesa “The Black Mamba”, estreou-se no dia 10 de Janeiro no Salão Preto e Prata do Casino do Estoril na sua digressão comemorativa dos 10 anos de carreira, “Good Times Tour”. Embora já tenham actuado nos grandes concertos do Casino do Estoril no Lounge D em 2018 e no Arena Live do Casino de Lisboa com a sua grande amiga Áurea, o palco do Salão Preto e Prata é a primeira vez que os recebe.

 

Com esta digressão os “The Black Mamba” estão a revisitar tanto os seus temas iniciais que foram pilares para captar a atenção do público como outros que fizeram parte do seu crescimento e atingir o que a banda é hoje.

 

Desde cedo conseguiram uma boa internacionalização, actuando em locais como Filadélfia, Luanda, Madrid, Sevilha, Rio de Janeiro, São Paulo entre outros.

 

Em Portugal têm actuado pelo país fora tanto nos seus concertos, como nos grandes festivais, onde a sua presença já é habitual.

 

“The Black Mamba” não é só o nome da banda, como também o do primeiro disco que lançaram. O seu estilo é um misto de blues, soul e funk. Neste concerto os artistas passaram por temas tais como “Sweet Lies”, “Good Times”, “I Shot the Sheriff”, “Easy”, “Canção de Mim Mesmo”, “I’m not to late”, “Personal Jesus”, “Thriller – Sunshine”, “I’ll Meet You There”, “Yester Lovers”, “Save My Day”.

 

A sala estava bem composta com um público de faixas etárias bem diversas, que demonstrou conhecer os temas da banda que foi sempre reagindo conforme o vocalista interagia com os espectadores.

 

Da formação inicial da banda estão Pedro Tatanka voz e guitarra e piano e Miguel Casais na bateria. Ainda subiu ao palco Francisco Sales, artista convidado, que quase de improviso pegou na guitarra e fez os seus solos.

 

Ao longo do concerto Pedro Tatanka foi fazendo os agradecimentos às pessoas e entidades que tornaram possível este espectáculo assim como as actividades e deslocações da banda.

 

Este foi o quarto concerto desta digressão que começou em Novembro na Póvoa de Varzim, e ainda conta com mais onze espectáculos terminando a 29 de Fevereiro no Teatro do Bairro em Lisboa.

 

Texto e Fotos: Pedro MF Mestre

 

clique na imagem para visualizar a fotorreportagem

 

 

Periodicidade Diária

terça-feira, 20 de outubro de 2020 – 19:25:00

Pesquisar

Como comprar fotos

publicidade

Atenção! Este portal usa cookies. Ao continuar a utilizar o portal concorda com o uso de cookies. Saber mais...